Bianchi Methanol 27.5 SX

POR: Tiago Rio
FOTOS: Carlos Batista | RIDER: Tiago Rio

Todos nós temos uma veia competitiva, e sonhamos em ser os primeiros, quanto mais não seja entre o nosso habitual grupo de amigos do pedal. Para satisfazer essa necessidade a Bianchi criou a Methanol 27.5 SX, uma bicicleta de Cross-Country desenhada para competição pura, utilizando tecnologia patente nas gamas superiores, com um equipamento de nível médio/alto, mas com um preço bastante mais acessível. E se escolher o Azul Celeste típico da Bianchi, pode ter a certeza que vai ter muitos olhos postos em si, por onde quer que passe.

A geometria não engana, e com um ângulo de direção de 71º e um ângulo de selim de 74º, assume-se nitidamente como uma bicicleta de performance, focada em ganhar aqueles preciosos segundos em competição, e que se sente em casa em subidas, de preferência íngremes. Para compensar, a dimensão de roda 27.5 e as escoras curtas de 425mm (medida igual para todas as dimensões de quadro), ajudam a equilibrar o conjunto, mantendo a Methanol ágil em singletrack e composta nos troços mais técnicos.

 Sendo a Bianchi a marca de bicicletas mais antiga do mundo ainda em atividade, experiência é coisa que não lhes falta. Isso fica bem evidente no design, geometria, qualidade de construção e cuidado nos acabamentos da Methanol 27.5 SX. O quadro em carbono utiliza a tecnologia “Triple Wall Tube”, que aumenta a rigidez e força estrutural, ao adicionar uma parede interior ao centro dos tubos. O reforço é aumentado ainda pela inserção de varetas de carbono nos perfis dos tubos principais, para aumentar ainda mais a rigidez nas zonas mais propensas a torções, sistema que é denominado “ERC - Embedded Reinforcement Construction”. No terreno estes pormenores manifestam-se numa resposta rápida à ação dos pedais, com um excelente aproveitamento da pedalada, com uma aceleração muito rápida e uma óptima eficácia em subida.

Mas um nível de rigidez tão elevado podia facilmente traduzir-se numa bicicleta desconfortável. Não é de todo o caso nesta Methanol, pois a Bianchi desenhou as escoras em forma de S, utilizando uma laminação que combina fibras de carbono e de vidro, melhorando a absorção das pancadas verticais no triângulo traseiro. É aqui que se evidencia a excelência da tecnologia BIanchi, numa bicicleta bastante confortável quer em estradão, quer em singletrack, sendo que apenas em zonas mais irregulares e com mais pedra, se sentem as vibrações típicas de uma bicicleta com quadro em carbono.

As rodas DT Swiss X 1900 Spline 27.5 pertencem à gama mais económica mas apresentam a qualidade habitual a que a marca nos habituou, e são das rodas mais leves neste segmento de mercado (abaixo das 1800gr). Vêm montadas com pneus Kenda Honey Badger XC Pro que se provaram muito bons no que diz respeito à baixa resistência ao rolamento, velocidade e baixo peso. Não serão todavia tão elogiados por pilotos mais aventureiros, pois facilmente superamos o seu limite de aderência, tanto a curvar agressivamente em pisos soltos, como no controle da travagem em zonas mais técnicas, onde os Honey Badger têm alguma dificuldade em manter o controle quando em esforço.

A equipar a transmissão encontra-se um dos sistemas favoritos de muitos betetistas: Shimano XT, que já demonstrou vezes sem conta ser uma excelente opção, oferecendo uma performance de topo, a um preço adequado. Neste caso vem com um pedaleiro de 2 pratos (28 e 38 dentes) e cassete de 11 velocidades (11 a 40 dentes), o que significa que temos sempre disponível a relação ideal para qualquer terreno. Também facilita a troca futura para um sistema 1x11, bastando trocar apenas para um prato pedaleiro de dimensão média, removendo o desviador e manípulos frontais para uma redução de peso adicional, uma opção que vai ganhando cada vez mais adeptos.

A nível de travagem a Bianchi decidiu apostar noutra marca italiana, a Formula, com o modelo CR1, que se provou sempre eficaz, com um toque bem firme na manete, mas com bom controle de progressividade, e disponibilizando sempre potência suficiente.

Se está à procura de uma bicicleta de Cross-Country ultra-rápida, leve e confortável, que lhe permita subir com maior facilidade, e dar um bigode aquele amigo fanfarrão que acha sempre que é o mais rápido lá do grupo, esta pode ser a bicicleta ideal para si.

FICHA TÉCNICA

Prós: Qualidade de construção e acabamentos do quadro; Excelente comportamento em subidas

Contras: Pouca aderência dos pneus em zonas mais técnicas

Peso: 10,2 kg

Preço: € 3.499

Site do fabricante