KTM Myroon Elite ‘Limited Edition’ em análise

POR: Tiago Rio
FOTOS: Tiago Rio | RIDER: João Duarte

Do trio de bicicletas ‘Limited Edition’ - três novas propostas extra-catálogo que a KTM Bike Portugal lançou no nosso país (Myroon, Aera e Ultra), chegou às nossas mãos a mais nobre das três bicicletas. O modelo de cross-country em carbono Myroon, dispensa apresentações, visto ser um modelo já com alguns anos de mercado, com provas dadas em múltiplas competições de nível mundial. 

O quadro de roda 29”, em liga de carbono performance com estrutura monocoque, possui linhas muito elegantes, com a linha do tubo superior a unir com as escoras, formando uma curva harmoniosa desde o eixo traseiro até à caixa da direcção. Vem equipado com a tecnologia Boost, montando cubos de roda com as medidas 12x148mm atrás e 15x100mm à frente. Equipa um eixo pedaleiro Press-fit, caixa de direcção cónica e tem passagem interna de cabos.

A Myroon Elite LTD mantém a geometria Myroon Boost totalmente inalterada e partilha exatamente o mesmo preço, a mesma montagem e ficha técnica da versão Elite normal que é comercializada na cor ‘azul team’. A diferença está na decoração com as cores oficiais da marca: preto e laranja. Por ser uma edição limitada recebe o mesmo acabamento ‘premium wet’ da versão topo-de-gama (Sonic).

Foi muito fácil de nos habituarmos à geometria da Myroon: embora seja uma máquina direcionada para competição, consegue ser descontraída e divertida. O centro de gravidade baixo inspira muita confiança nas zonas mais inclinadas e técnicas, o que nos tranquiliza onde outras bicicletas nos deixam os nervos em franja. O quadro longo com escoras curtas é muito estável a velocidades maiores, mas não prejudica a agilidade nos trilhos mais sinuosos. O cockpit é produzido pela própria marca: o avanço de comprimento médio (80mm), combinado com um guiador plano e recuado, asseguram um excelente controlo, contribuindo significativamente para o carácter divertido da bicicleta.

A rigidez global é boa, e a transmissão de potência é eficaz, pelo que a subir a Myroon Elite cumpre impecavelmente o seu propósito, mostrando-se particularmente preparada para as subidas mais técnicas. O peso um pouco acima dos 10kg, está adequado à gama de preços em que esta bicicleta se enquadra.

A suspensão Fox Performance foi elogiada por todos que tiveram oportunidade de testar a Myroon, pela suavidade com que funciona, proporcionando um alto nível de conforto. O bloqueio remoto no guiador tem 3 posições que alteram o funcionar da suspensão: desbloqueada, bloqueada, e um nível intermédio que reduz o bombear sem bloquear totalmente a absorção de impactos. Mas o funcionamento da Fox Performance é tão eficaz que raramente utilizámos esta função - apenas ao pedalar agressivamente em pé se justifica activar o bloqueio.

A tecnologia Stepcast introduzida este ano nas suspensões de XC da Fox permite manter a largura da suspensão, mesmo acomodando os cubos mais largos Boost. As primeiras suspensões compatíveis com o sistema Boost, foram alargadas para acompanhar a medida extra dos cubos, o que as tornava mais flexíveis. O engenhoso entalhe na parte inferior da suspensão, permite encaixar os cubos Boost sem mexer na largura total da suspensão, mantendo o mesmo grau de rigidez das suspensões que usam cubos convencionais. Esta foi a primeira vez que testámos um modelo com este sistema, e ficámos muito bem impressionados com este conceito.

No estilo típico de uma bicicleta de roda 29”, a Myroon rola muito bem e mantém velocidade com toda a facilidade do mundo, facto para o qual contribuem os pneus equipados, uns Schwalbe Rocket Ron em medida 29x2.25, que se mostraram excelentes a rolar mas com uma aderência acima da média para um típico pneu de cross-country. São todavia propensos a furos, pois a carcaça LiteSkin - optimizada  para uma redução de peso significativa, é extremamente fina. São compatíveis com tubeless, por isso é de considerar a opção de os converter. 

A travagem dos Shimano Deore é competente, mas não possui a mesma modulação que os modelos superiores da marca japonesa apresentam. A potência é suficiente, mas não impressiona. Ainda assim acreditamos que só se justifica o upgrade, se trocados por um modelo significativamente melhor, como por exemplo o Shimano XT.

No cômputo geral, é uma bicicleta com uma montagem equilibrada, com componentes de boa qualidade, e com a performance assegurada por um quadro de óptima qualidade, actualizado com as tecnologias mais modernas. Se este é o tipo de bicicleta que pensa em adquirir, não deixe de ponderar a KTM Myroon pois é uma excelente proposta, e se gosta da decoração com as cores características desta marca austríaca não perca muito tempo – as edições limitadas não estão disponíveis para sempre.

FICHA TÉCNICA

Prós: Condução descontraída e visual apelativo.

Contras: Pneus com paredes muitos finas propensos a furos.

Peso: 10,6kg

Preço: €2599

Site do fabricante